Comunicados de Imprensa

Comunicados de Imprensa

Em breve a Rádio Onda Mega, no seu site oficial: http://radioondamega.pt

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Electrão recolheu mais embalagens, pilhas portáveis e equipamentos eléctricos usados durante a pandemia

 

O Electrão – Associação de Gestão de Resíduos recolheu mais embalagens, pilhas portáveis e equipamentos eléctricos usados durante a pandemia apesar de todos os constrangimentos.

 

“Registámos um crescimento de 19 por cento na retoma das embalagens, de 22 por cento nas pilhas portáveis e de seis por cento nos equipamentos eléctricos usados”, revelou o Director-Geral Adjunto do Electrão, Ricardo Furtado, durante o segundo debate do “Movimento Faz Pelo Planeta by Electrão”. A sessão, transmitida na manhã desta quinta-feira, em directo, no canal de You Tube do Electrão, foi dedicada ao tema “O Desenvolvimento Sustentável no Pós-Pandemia”.

 

Ricardo Furtado acredita que haverá um antes e um depois da pandemia no que diz respeito à sustentabilidade ambiental. “No Electrão estamos convencidos disso mesmo. É uma necessidade que todos interiorizámos porque todos acabámos por sofrer, no dia a dia, algum tipo de consequências desta pandemia”, sublinhou.

 

A directiva que impõe o fim da obsolescência programada, para garantir o prolongamento da vida de equipamentos eléctricos, por exemplo, é uma das medidas que assegura o aumento da sustentabilidade neste sector, a par de outras, como a redução do consumo de água e proibição de utilização de substâncias perigosas.

 

Joana Guerra Tadeu, uma das big changers que dá rosto à campanha “Faz pelo Planeta By Electrão”, um movimento que acaba de ser lançado e que pretende trazer para a ribalta outros ambientalistas, ainda no anonimato, lembra que a transição para um modo de vida mais sustentável deve ser feita com pequenas mudanças.  

 

“Uma das melhores coisas que trouxe a pandemia foi a redução do desperdício alimentar nas casas das famílias. Também se passou a gastar menos água. Só não conseguimos poupar na energia. Aumentou a auto-suficiência com muita gente a fazer pão em casa com receio de um apocalipse e aumentou também a interajuda ao vizinho, na comunidade. Espero que isso não acabe com o fim da pandemia”, frisou.  

 

Joana Guerra Tadeu considera que estes gestos são o exemplo da máxima dos anos 90 que veiculava a necessidade de “pensar global e agir local”. Mas há ainda muito a fazer. A big changer não está optimista quanto ao abrandar do consumo e das emissões. Se em 2020 os recursos do planeta, disponíveis para todo o ano, estavam gastos a 22 de Agosto, este ano extinguiram-se a 13 de Maio. Mais do que nunca é preciso sensibilizar para modos de vida mais sustentáveis.

 

A presidente da associação Bussiness As Nature, Susana Viseu, está convicta de que esse caminho passa pela fiscalidade verde. “Enquanto não nos mexerem no bolso, enquanto não tivermos o mercado de carbono a funcionar, não teremos as medidas necessárias”, antevê. Se é relativamente fácil descarbonizar e apostar nas energias limpas, segundo Susana Viseu, mais difícil é levar as empresas a comportamentos mais sustentáveis.  Este é outra das vertentes do movimento que quer encontrar, além de outros “big changers”, “corporate changers”, pessoas que fazem a diferença dentro das empresas e organizações.

 

Para o presidente do CNADS (Conselho Nacional do Ambiente e do Desenvolvimento Sustentável), o professor e investigador Filipe Duarte Santos, esta pandemia veio consciencializar a população mundial para a necessidade de respeitar a natureza, de forma a evitar outras zoonoses, infecções transmitidas de animais para seres humanos. Alertou ainda para todas as questões que se prendem com ambiente, alterações climáticas e poluição.

 

Numa altura em que as viagens entre países começam a registar alguma retoma, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, mostra-se confiante no equilíbrio entre saúde e economia. Sempre sem perder de vista a ideia de sustentabilidade.

 

Sobre o Electrão:

 

O Electrão – Associação de Gestão de Resíduos é a entidade responsável por três dos principais sistemas de recolha e reciclagem de resíduos: embalagens, pilhas e equipamentos eléctricos usados. Gere uma rede de recolha de equipamentos eléctricos e pilhas usadas com mais de 6000 locais de recolha dispersos por todo o território nacional e é também responsável pela reciclagem de embalagens em todo o país. A sua principal missão é assegurar a reciclagem dos resíduos recolhidos, contribuindo para a minimização do impacto ambiental e para um reaproveitamento dos materiais que os constituem promovendo a economia circular.  Desenvolve diversas campanhas de comunicação e sensibilização com o objectivo de promover uma maior consciencialização ambiental e uma mudança de comportamentos, de que se destacam o Quartel Electrão, a Escola Electrão e o TransforMAR.

 

Mais Informações: Ana Santiago – 962 208 371

 

 

 

 

 

Videoconferência | "Porque devem os doentes participar em ensaios clínicos?"

 

 


Caríssimos.

Esperamos que se encontrem todos bem e em segurança. 

Atualmente, um ensaio clínico é definido de acordo com a Lei 21/2014 de 16 de abril, como qualquer investigação conduzida no ser humano, destinada a descobrir ou a verificar os efeitos clínicos, farmacológicos ou outros efeitos farmacodinâmicos de um ou mais medicamentos experimentais, ou a identificar os efeitos indesejáveis de um ou mais medicamentos experimentais, ou a analisar a absorção, a distribuição, o metabolismo e a eliminação de um ou mais medicamentos experimentais, a fim de apurar a respetiva segurança ou eficácia.


Vimos por este meio divulgar a próxima videoconferência online, organizada pelo CNS, que irá realizar-se no próximo sábado, dia 22 de maio, às 16h, como forma de comemorar o dia Internacional dos Ensaios Clínicos, que se celebra amanhã.

Dedicada ao tema "Porque devem os doentes participar em ensaios clínicos?", a conversa será moderada pelo Prof. Joaquim Ferreira, neurologista e investigador principal em inúmeros estudos na área das doenças neurológicas. Contará com a presença de um painel de neurologistas, envolvidos na condução de ensaios clínicos nas áreas da doença de Parkinson e Parkinsonismos, na doença de Alzheimer, Esclerose Múltipla e Cefaleias.

Esta conversa online destina-se a toda a comunidade com interesse nesta temática, incluindo doentes, familiares, cuidadores e profissionais de saúde. Para assistir basta aceder ao Canal CNS, no YouTube, através do seguinte link https://youtu.be/IkhPso02TEM
 

Para participar é necessário ter Plataforma Zoom e aceder a este link
https://us02web.zoom.us/j/84239751095



Assista a esta conversa e tire as suas dúvidas.

Convidamos todos a assistir.

 

 

 

 

 

 

 

Electrão procura pessoas extraordinárias dispostas a salvar o planeta

Conhece alguém que recolhe plástico na praia ou no campo? Alguém que vive de forma minimalista recusando os excessos? Ou que pratique um estilo de vida mais sustentável que possa inspirar outros? O Electrão está à procura desses activistas anónimos dispostos a salvar o planeta.

 

O movimento "Faz pelo Planeta by Electrão", com o alto patrocínio do Presidente da República, vai ser lançado esta quinta-feira, 6 de Maio, às 10h00, no LNEC, em Lisboa, com transmissão online. 

 

O Electrão quer encontrar esses agentes de mudança, tanto ao nível da comunidade (esses são os "Big changers"), como dentro das empresas, onde há sempre alguém que se destaca fazendo a diferença e impulsionando boas práticas ambientais (designados como "Corporate Changers").

 

Os escolhidos como campeões da mudança, por um júri constituído pelo Electrão e pelos seus parceiros neste movimento, terão a oportunidade de viajar até ao maior parque florestal da Europa: o Parque Nacional Białowieża, na Polónia.  A viagem terá a duração de quatro dias. Como contrapartida deve documentar a sua viagem em formato audiovisual para que futuramente o vídeo possa ser partilhado com as comunidades do Electrão. As empresas vencedoras, por sua vez, podem ter acesso a planos de consultoria ambiental.

 

Para inspirar a participação de muitos ambientalistas que ainda se encontram na sombra, o movimento envolveu na iniciativa alguns dos influenciadores mais conhecidos nestas áreas: Ana Milhazes (Lixo Zero), Ana Masiello (Hero to Zero), Catarina e Rita Leitão (Zero Plástico), Catarina Matos (Mind the Trash), Gonçalo de Carvalho (SCIAENA), Inês Soares (Nononovo), Joana Tadeu e Raquel Gaspar (Ocean Alive).

 

"O planeta precisa que todos se mobilizem para esta grande causa. Porque não somos capazes de travar esta luta sozinhos estamos determinados a encontrar pessoas verdadeiramente extraordinárias, que sabemos que existem e que podem inspirar esta mudança de forma natural, quer na comunidade, quer nas empresas. Estamos em contagem decrescente", desafia o Director-Geral do Electrão, Pedro Nazareth. 

 

Este movimento pela defesa do planeta pretende promover não só a reciclagem de resíduos, mas a viragem para uma economia mais circular. "A reciclagem por si só já não responde às necessidades actuais. Precisamos todos de ir mais longe e operar uma mudança nos comportamentos", sublinha Pedro Nazareth.  

 

As inscrições poderão ser feitas na página oficial Movimento Faz Pelo Planeta By Electrão, onde estará disponível o regulamento, o vídeo manifesto e toda a informação sobre a iniciativa.  

 

Esta iniciativa do Electrão tem o apoio da Agência Portuguesa do Ambiente e conta com o Dinheiro Vivo como parceiro de media. Entre os parceiros associativos e empresariais do movimento estão o BCSD - Business Council for Sustainable Development, Corpo Nacional de Escutas, Deco Proteste, EGF, ESGRA, Lidl Portugal, Liga dos Bombeiros Portugueses, Quercus e Veolia. 

 

Sobre o Electrão:

 

O Electrão – Associação de Gestão de Resíduos é a entidade responsável por três dos principais sistemas de recolha e reciclagem de resíduos: embalagens, pilhas e equipamentos eléctricos usados. Gere uma rede de recolha de equipamentos eléctricos e pilhas usadas com mais de 6000 locais de recolha dispersos por todo o território nacional e é também responsável pela reciclagem de embalagens em todo o país. A sua principal missão é assegurar a reciclagem dos resíduos recolhidos, contribuindo para a minimização do impacto ambiental e para um reaproveitamento dos materiais que os constituem promovendo a economia circular.  Desenvolve diversas campanhas de comunicação e sensibilização com o objectivo de promover uma maior consciencialização ambiental e uma mudança de comportamentos, de que se destacam o Quartel Electrão, a Escola Electrão e o TransforMAR.

 

Mais Informações: Ana Santiago – 962 208 371

 

 

Press Release
Divulgação imediata

_



COVID-19 e doenças neurológicas:
do confinamento ao pós-pandemia

Congresso Online, 24 de Abril de 2021


No passado dia 24 de Abril, o CNS - Campus Neurológico realizou o seu 3º Congresso anual, este ano em formato online, dedicado ao tema "COVID-19 e doenças neurológicas: do confinamento ao pós-pandemia". 

Com mais de 300 profissionais de saúde inscritos, o Congresso contou com a presença de convidados da área da Biologia e Saúde. Foram abordados temas como o impacto do vírus SARS-COV-2 e do confinamento nas doenças neurológicas e no envelhecimento, a vacinação em doentes neurológicos e o acompanhamento dos doentes à distância. O Congresso terminou com uma mesa redonda multidisciplinar dedicada ao tema "O que vai mudar no acompanhamento neurológico pós-COVID?". 
 
Todas as sessões do congresso encontram-se agora disponíveis no Canal CNS no YouTube.

 
O Campus Neurológico Sénior é um centro português especializado em doenças neurodegenerativas, nomeadamente Doença de Parkinson, onde coexistem três unidades complementares: o CNS - Clínica Médica (inclui Unidade de Neuroreabilitação), o CNS - Unidade Residencial e o CNS – Residência Sénior. O CNS tem por objectivo conciliar atividade clínica de qualidade com a condução de projetos de investigação e formação de profissionais de saúde, nas mesmas áreas médicas onde desenvolve atividade assistencial.


Para mais informação
https://www.cnscampus.com/pt/noticias/3o-congresso-cns 
 
Para aceder à gravação das sessões do congresso
https://youtube.com/playlist?list=PLnCF0pgPfAqkdCtdb65TJXfeeT6usnDeN

 

 

 


Exmo(a) Senhor(a).

Esperamos que se encontre bem e em segurança. 


Vimos por este meio divulgar a próxima videoconferência online, organizada pelo CNS, que irá realizar-se no dia 20 de março, sábado, às 16h.

Dedicada ao tema "O impacto da desregulação do sono ao longo da vida: conversa sobre ritmos circadiários, sono, saúde e envelhecimento", a videoconferência será moderada pela Dra. Ana Rita Peralta, Neurologista, especialista em Medicina do Sono e contará com a presença do Professor Joaquim Ferreira, Neurologista, da Dra. Ângela Relógio, Investigadora em ritmos circadiários, no Molecular Cancer Research Centre, Charité Medical University of Berlin, da Dra. Cátia Reis, Investigadora em sono e ritmos circadiários, na Faculdade de Ciências Humanas da UCP, com a Dra. Cristiana Silva, Neurologista, especialista em Medicina do Sono e com o testemunho de um jovem e de um idoso com alterações do sono.


Esta conversa é destinada ao público em geral e irá abordar os problemas do sono nos jovens e nos adultos.


Para participar é necessário ter Plataforma Zoom, e aceder aqui em baixo: https://us02web.zoom.us/j/83221243924.
Pode assistir em directo no Canal CNS  em https://www.youtube.com/channel/UCHIrLABYyJq-61AcFGW64kA.




Convidamos todos a assistir.

 _______________________________________________________________

 

COMUNICADO DE IMPRENSA

 PRESS RELEASE